Buscar

Revolução verde na sua casa de banho

Qual o impacto ambiental dos nossos produtos de higiene e cosmética?




Cada vez mais se discute o impacto dos nossos hábitos no planeta e têm surgido cada vez mais alternativas focadas em criar um mundo mais limpo e sustentável.


No entanto, mudar de hábitos não é fácil e é constantemente confrontado com a nossa resistência à mudança e preferência pelo conveniente. Como consumidores, todas as nossas decisões importam e têm consequências para nós e para o planeta. Desta forma, é importante fazer escolhas conscientes. Mais crítico que viver numa sociedade consumista é viver numa sociedade inconsciente. Até as pequenas escolhas, como escovar os dentes, têm impacto.


Os artigos de higiene e cosmética são muitas vezes ignorados no que diz respeito a viver de forma mais sustentável, no entanto têm um grande impacto para a nossa saúde e para o ambiente. Todos os anos são produzidos cerca de 120 mil milhões de embalagens pela indústria da cosmética, sendo que destes, 2,7 mil milhões acabam nos aterros, contando também com os resíduos dos produtos que libertam químicos para os solos e águas. Para além da vertente ambiental, a indústria da cosmética é também responsável por realizar testes em animais.

Em resposta a estes problemas, há cada vez mais alternativas sustentáveis, acessíveis, que toda a gente pode adotar.


Champô e gel de banho


Todos usamos champô e gel de banho diariamente, no entanto nunca nos questionamos sobre o seu impacto. Cerca de 80% do champô é água, contendo também: detergentes, acondicionadores, espessantes, estabilizadores de espuma, conservantes e quelantes. Estes químicos são por vezes agressivos para o couro cabeludo e ainda mais agressivos para os ambientes aquáticos. Muitos destes químicos não são filtrados pelas ETARs e, por terem uma degradação lenta, contaminam o ambiente em seu redor. Além disso, quando compramos um champô líquido estamos essencialmente a pagar por água. E pela embalagem.


Qual a alternativa?

Champôs sólidos e sabonetes. Por serem concentrados, duram cerca de 3 ou 4 vezes mais que os comerciais, e não vêm embalados em plástico. Geralmente estes produtos são constituídos por ingredientes naturais, sendo biodegradáveis e melhores para a pele e cabelo. Ao contrário dos produtos comercializados em massa, a maioria dos sabonetes e champôs sólidos

disponibilizados online são fabricados em Portugal.


Pasta de dentes


Comercializada desde o século passado, é atualmente um dos produtos mais consumidos no mundo inteiro.


Sempre que lavamos os dentes deitamos resíduos de pasta no esgoto, que acabam nos ecossistemas aquáticos, por não ser possível serem filtrados totalmente. A pasta de dentes comercial contém, entre outros ingredientes, fluor, esmalte e sulfato de sódio, químicos que em quantidades são prejudiciais aos seres vivos. A verdade é que muitos dos constituintes da pasta não servem para lavar, mas para tornar o produto atrativo no mercado, que é o caso da espuma e da frescura que sentimos.



Que alternativas existem?


Há inúmeras receitas caseiras disponíveis online, fáceis de fazer com ingredientes comuns, como por exemplo óleo de coco e bicarbonato de sódio. Ao não comprar pasta de dentes, não só se evita contaminar a água, como também se elimina os custos de produção de embalagens e transporte. A pasta de dentes caseira não é a única solução, existindo muitas marcas portuguesas que vendem alternativas ecológicas.




Detergente para a roupa


Os detergentes são dos produtos mais prejudiciais, tendo constituintes muito abrasivos e tóxicos, tais como: Tensoativos sintéticos, feitos a partir do petróleo; Fosfatos, que são prejudiciais para as aves e impedem a entrada de oxigénio no meio aquático; Fragrâncias e corantes, que alteram a composição química da água.


Os detergentes demoram meses ou anos a decompor-se. Secos ou líquidos, os detergentes secos causam mais atrito, aumentando a libertação de microfibras durante a lavagem da roupa, um dos maiores problemas dos ecossistemas aquáticos. Por seu lado, os líquidos gastam-se mais depressa, aumentando o custo ambiental relacionado com as embalagens e o transporte.


Qual a alternativa?


Nozes de saponária. Este fruto tem uma ação semelhante ao sabão quando entra em contacto com a água, funcionando como detergente natural na limpeza de roupa e da casa, e até como champô em animais. Para além de ser 100% biodegradável, é económico e não usa embalagens de plástico.



Cosmética

Em média, cada pessoa usa 12 produtos de cosmética e higiene por dia. O uso exagerado de cosméticos resulta numa acumulação de toxinas no corpo e no ambiente.

Quais são os impactos desta indústria?


Quando entram em contato com o meio natural, estes resíduos químicos reagem de maneira diferente. Alguns degradam-se em substâncias inofensivas, enquanto outros decompõem-se noutros substâncias prejudiciais.

Apesar dos desodorizantes e latas de spray já não conterem CFCs (tendo sido banidos nos anos 80), emitem compostos orgânicos voláteis (VOCs) que aumentam os níveis de ozono nas camadas mais baixas da atmosfera. Os VOCs não são encontrados apenas em sprays, mas também em vernizes, perfumes e enxaguantes bucais.

Para além dos constituintes químicos, os cosméticos também também incluem microesferas.


O que são?



As microesferas são substâncias plásticas, encontradas principalmente em esfoliantes para rosto e corpo. Ao contrário dos compostos naturais e orgânicos, como os sais marinhos, estes substitutos simulam a ação esfoliante dos compostos naturais, mas são muito poluentes para os rios e lagos, pois são demasiado pequenos para serem filtrados nas ETARs. Por não serem biodegradáveis e serem quase invisíveis é praticamente impossível retirá-los do meio marinho.



Desta forma é importante ter atenção aos constituintes dos produtos que compramos, havendo muitas alternativas naturais e ecológicas, tais como:


  • Desodorizantes stick;

  • Cremes e óleos naturais;

  • Pensos higiénicos biodegradáveis/ de tecido;

  • Desmaquilhantes de pano;

  • Cotonetes de bambu...



Água


Não podemos falar de sustentabilidade na casa de banho sem referir o consumo de água. Segundo as nações unidas, a água necessária para satisfazer as necessidades básicas diárias é 110 litros por pessoa, no entanto em Lisboa cada pessoa consome em média 145 litros.

Onde gastamos tanta água?


Cerca de 60% do consumo de água doméstico é utilizado na higiene diária, onde os maiores gastos acontecem no duche ou banho de imersão. Como? Uma torneira aberta 1 minuto pode desperdiçar 12 litros de água, sendo que num duche de 5 minutos, sem fechar a torneira gastam-se 60 litros. Multiplicando este valor pelo tempo a mais, verifica-se um enorme desperdício. Na lavagem dos dentes gastam-se 36 litros.


O simples ato de fechar a torneira pode poupar 36 litros no banho e na lavagem dos dentes. Outra fonte de desperdício é o autoclismo, onde cada descarga desnecessária (por exemplo na eliminação de papel quando nos assoamos) consome entre 10 a 15 litros. Qualquer tipo de lixo deve ser despejado no caixote para esse efeito, sendo importante ter sempre um na casa de banho.


Artigo escrito por Margarida Silva

Fontes:

https://www.epal.pt/EPAL/menu/%C3%A1gua/campanhas/uso-eficiente

https://greentumble.com/the-truth-about-environmentally-harmful-chemicals-in-cosmetics/

https://www.google.com/amp/s/amp.ecycle.com.br/component/content/article/6-atitude/1591-as-propriedades-do-creme-dental.html


https://www.google.com/amp/s/www.natgeo.pt/meio-ambiente/2018/09/cinco-razoes-para-preferir-barras-de-champo/amp


https://www.google.com/amp/s/observador.pt/2018/06/25/o-plastico-e-a-cosmetica-pode-a-beleza-ser-eco-friendly/amp/


https://www.ecox.pt/blogs/blog-ecox/impacto-ambiental-detergentes-convencionais




35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo